A ABRH-Nacional tem um recado para você

Durante mais de quatro anos, o blog da ABRH-Nacional esteve aqui, buscando interagir e levar assuntos relevantes para os nossos leitores – líderes, gestores de RH, funcionários, colaboradores… praticamente qualquer pessoa que vive e respira esse mercado de trabalho.

Agora chegou o momento de mudar para um novo teto, uma nova casa: vamos concentrar nossos esforços em nossa fanpage no Facebook.

Foram quatro anos de sucesso. Neste tempo, publicamos 801 textos de diversos temas. Recebemos mais de 458 mil visitas – uma média de mais de 100 mil visitantes por ano, que deixaram 315 comentários com mensagens positivas e dúvidas. Estas pessoas foram vocês e ficamos felizes de saber que estiveram conosco durante todo este tempo e nos ajudaram a conquistar todas estas marcas.

Trabalhamos agora para melhorar nosso canal de comunicação com vocês. Temos muitos planos para potencializar a nossa página do Facebook em um local de informação e conhecimento, assim como sempre aconteceu em nosso blog, sempre com uma linguagem bem-humorada e próxima do leitor (agora “fã”).

Esperamos agora contar com a sua participação ativa na fanpage da ABRH-Nacional. Curta a nossa página para acompanhar as atualizações e será bem-vindo para comentar sempre que quiser. Na verdade, já existem mais de 4 mil pessoas fazendo isso por lá. Basta clicar aqui para conferir.

Anúncios

O que podemos aprender sobre liderança com a história de Steve Jobs

Faz um ano que o mundo perdeu Steve Jobs. Não é um exagero dizermos que ele foi e continua sendo um dos grandes heróis desta geração. O homem esteve à frente das empresas mais badaladas das últimas décadas – Apple e Pixar –, além de travar batalhas econômicas incríveis, como a disputa do seu iPhone contra os smartphones da Samsung. Mas grande parte do sucesso de Jobs vem de sua forma de montar e liderar equipes vencedoras.

Eric V. Holtzclaw, CEO e fundador da User Insight e cofundador do mundialmente famoso site de viagens Trip Advisor, além de grande fã do trabalho de Jobs, separou quatro dicas fundamentais sobre liderança que podemos aprender com a história do guru da Apple.

Ele tinha vontade de recomeçar

A sua empresa costuma descartar ou refazer projetos que já estão em fases avançadas de produção? Jobs já chegou a cancelar um produto na semana em que seria lançado por não achar que estava bom e começar tudo do zero. Se essa postura deu errado? Bem, quando voltou para a Apple em 1996, ele encontrou uma empresa quase falida e a transformou em uma das mais rentáveis do mundo, com projetos que quebravam as próprias regras da companhia (e do mercado): iPod, iTunes e o iPhone.

Ele queria simplicidade

Processos complexos, projetos cheios de detalhes, produtos com um milhão de funcionalidades. Jobs nunca foi fã de nenhuma dessas coisas e, segundo Eric V. Holtzclaw, burocracias e processos de mais podem atrapalhar a sua empresa, dificultar que seus funcionários realizem tarefas simples e até mesmo privar sua equipe de boas ideias e inovações. “O simples pode ser mais complexo que o difícil: você tem de trabalhar duro para fazer seus pensamentos ficarem limpos e fazer algo simples. Mas vale a pena no final, porque uma vez que você chega lá, você pode mover montanhas”, Steve Jobs.

O caso que melhor exemplifica isso foi quando a IBM mandou para ele um contrato de 125 páginas e Jobs se recusou a ler e pediu que a empresa lhe mandasse um contrato simplificado, pedido que a IBM atendeu em alguns dias.

Ele não tinha medo de falar

Para Eric V. Holtzclaw, ser tímido nunca foi uma boa qualidade na hora de fechar negócios. E Jobs era o contrário disso. Ele sempre esteve confortável no papel de liderança que ocupava e se portava como esperavam dele: era ousado, fazia declarações dramáticas e aquelas perguntas que ninguém mais na sala tinha coragem de fazer, mas que eram iniciativas fundamentais para fechar grandes negócios ou decidir novos rumos para a empresa.

Ele acreditava no potencial dos outros

Jobs costumava dizer que a sua equipe era composta por profissionais “A”. Ele acreditava no potencial de cada um deles. Uma de suas grandes características como líder era motivar este time com seu carisma a ponto de fazê-los acreditar que eram capazes de fazer qualquer coisa, inclusive a realizar os projetos mais incríveis da empresa. Esta “habilidade” ficou conhecida como “Campo de distorção da realidade”, termo que é usado hoje em dia também para descrever o efeito que as palestras de Steve Jobs tinham nas pessoas. Vai dizer que ao assistir o vídeo abaixo você não se sente inspirado e capaz de qualquer coisa?

Informativo da ABRH-Nacional no Estadão 05/07/2012

Informativo da ABRH-Nacional no Estadão 22/03/2012Perdeu o Estadão desta quinta-feira? Não se preocupe. Aqui está a versão digital do Informativo da ABRH-Nacional com as notícias da associação, um excelente artigo de José Emídio Teixeira sobre sustentabilidade nas empresas e uma matéria que dá continuidade à discussão sobre carreiras verdes, iniciada na Cúpula Mundial Green Jobs na Rio+20 & Você. Leia aqui.

Confira a programação completa da participação da ABRH-Nacional na Rio+20

A ABRH-Nacional levará discussões acerca dos Green Jobs para a Rio+20 & Você, conferência organizada pela ONU, que acontece no Rio de Janeiro nos dia 14 e 15 de junho. A associação é responsável pela Cúpula Mundial Green Jobs, que contará com três painéis de debates sobre temas relacionados à economia verde, um dos eixos principais do evento, e como líderes e gestores devem estar preparados para promover o desenvolvimento sustentável no âmbito institucional.

A Cúpula Mundial Green Jobs tem limite de inscrições. Então, o melhor é garantir a sua participação mandando um email para rsvp@rio-20.org. Os painéis contarão com representantes da ABRH-Nascional, como Leyla Nascimento e Elaine Saad, presidente e vice-presidente da associação, respectivamente, e dos diretores Luiz Edmundo, Thereza Abraão, Vicky Bloch, Eugênio Mussak e Nelson Savioli.

Confira a programação completa da Cúpula Mundial Green Jobs, acompanhe as nossas redes sociais (Twitter e Facebook) para ler mais notícias e curiosidades sobre o evento e programe-se:

Como fazer uma boa reunião?

Você já deve ter lido o nosso texto sobre a reunião de 22 minutos, certo? Nós achamos que, apesar das ótimas ideias apresentadas pela canadense Nicole Steinbok, faltavam alguns pontos em seu discurso. Por isso, falamos com Cezar Tegon, Diretor de Novos Serviços e Produtos da ABRH-Nacional e presidente da eLancers, para falar um pouco mais sobre o assunto.

Para Tegon, se você pretende marcar uma reunião com a equipe, para que tudo saia bem e a discussão seja produtiva, as suas responsabilidades começam muito antes de entrar na sala. “É necessário que o organizador tenha planejamento sobre o que será tratado. Uma pauta formal deve ser enviada a todos os participantes, com dia e horário de início e término, tópicos que serão tratados e quem será o responsável por cada tópico”, garante.

Planejamento, disciplina e um responsável por organizar e registrar o que foi decidido ou o que ficou pendente na reunião são as chaves para uma discussão mais produtiva e menos enfadonha.  “É fundamental que a reunião comece no horário determinado, em respeito aos presentes”, afirma Tegon. Uma preocupação importante mesmo no Brasil, onde tradicionalmente horários não são muito acatados.

Para não perder o foco da reunião e manter a objetividade nas discussões, Cezar aconselha definir antecipadamente o horário que cada tópico será debatido. O organizador deve ficar de mediador e interferir sempre que um novo assunto, não pertinente para o encontro, seja iniciado, sugerindo que uma nova reunião seja marcada para isso e que todos continuem a seguir a pauta. Além de uma ótima organização antes e durante a reunião, envie um relatório com tudo o que foi decidido aos presentes.

Saiba também que a tecnologia é a sua amiga nas reuniões. Ela permite que pessoas do mundo inteiro participem de uma mesma discussão através de vídeo conferência, e isso é ótimo. “Hoje, os iPhones, iPads e outros tablets em geral têm aplicativos que podem tornar a reunião muito mais produtiva. Existem alguns que gravam toda a reunião e a separa por tópicos, depois todos podem consultar, dentro desse tópico, o que foi dito e realizar as ações recorrentes programadas.”

Ao utilizar aparatos tecnológicos, alguns cuidados especiais devem ser tomados para não colocar a reunião por água abaixo. Reserve a sala com os recursos necessários com antecedência, garanta que tudo esteja funcionando, não superdimensione o equipamento (você não precisa de um projetor para apresentar algo para apenas duas pessoas) e não deixe que os tablets se transformem em uma distração para os presentes.

Cezar Tegon lembra ainda da história de um amigo próximo, um executivo brasileiro, que atuou em uma grande empresa americana durante 3 anos. Durante esse período, ele liderou uma equipe de sete subordinados diretos, com os quais fazia reuniões semanais com pessoas ‘espalhadas’ pelo Estados Unidos. “As reuniões eram marcadas e ninguém perguntava onde, pois todos sabiam que seria uma tele-reunião, se viam por webcam, tratavam dos assuntos pautados, trocavam arquivos, registravam o que havia sido combinado em seus PCs, iPhones, iPads, tablets e partiam para ações. Este é um exemplo real de como uma reunião com tecnologia pode, além de atender os objetivos programados, gerar economia de tempo pessoal, dinheiro e grande aumento de produtividade”, afirma o diretor.

12 dicas para construir um poderoso networking

Contatos profissionais são preciosos. Estabelecer um networking não se trata apenas de colecionar cartões de visita e fazer amizades no trabalho, mas é uma ferramenta importante com a qual é possível resolver problemas ou até obter novas oportunidades de trabalho. “Networking é uma forma organizada, direcionada, baseada em uma metodologia, que ajuda as pessoas a obterem resultados através de outras pessoas que conhecem”, define Elaine Saad, vice-presidente da ABRH Nacional.

Reunimos três representantes da ABRH Nacional para saber as suas principais dicas para quem quer construir um networking profissional eficiente. Confira:

Leyla Nascimento, presidente da ABRH Nacional

Estabeleça contatos com profissionais da sua futura área profissional

Está pensando em mudar de área? Conhecer pessoas que já atuam com o que você pretende trabalhar pode te colocar com um pé na profissão. “Isto o ajudará na tomada de decisão”, explica Leyla.

O importante não é colecionar cartões de visita, mas sim quantas vezes você está na agenda do outro

Ter uma gaveta cheia de cartões de visita de pessoas que não se lembram de você não serve para muita coisa, você seria como um estranho pedindo favores. “Para ser lembrado, tem que se relacionar no mercado de trabalho”.

Faça estágio!

Você é novo na área e ainda não conhece ninguém? Faça estágio. “É a melhor forma de exercer a prática”, diz Leyla. Além disso, você estabelecerá muitos contatos profissionais que serão parte fundamental do seu networking.

Elaine Saad, vice-presidente da ABRH Nacional

Sempre que você oferecer algo antes de pedir, suas chances de resultado aumentam

Por que ajudar uma pessoa que te procura? Pense que a comunidade da qual você faz parte também pode te socorrer no futuro. Então o melhor a fazer é oferecer algo para ser lembrado positivamente quando você precisar, e não como aquele que apenas pede favores.

Persistência é necessário, e bastante efetivo

Esteja constantemente em contato com as pessoas do seu networking e não desista de ninguém. Desta forma você será sempre lembrado.

Não julgue uma pessoa por parâmetros seus de comunicação e contato

Você já ouviu dizer que não devemos julgar o livro pela capa? Assim funciona com as pessoas. Muitas vezes não temos uma boa impressão delas simplesmente porque ainda não nos deparamos com as suas principais qualidades, que podem ser muito úteis para você no futuro.

Networking é um processo efetivo porque gostamos de ajudar àqueles que conhecemos

Sabe quando aparece uma vaga muito boa na sua empresa e você se lembra de um amigo que está precisando e o ajuda a conseguir o emprego? Isso é networking! Fazemos isso porque gostamos de ajudar os conhecidos. E eles farão o mesmo se puderem se lembrar de você. Portanto, esteja sempre presente.

Cezar Antonio Tegon, Diretor de Novos Serviços e Produtos da ABRH

Deixe uma imagem boa por onde passar e tenha contato ativo com quem se relaciona

É preciso ter um bom relacionamento com todos os profissionais com quem você trabalhar. “Agindo dessa forma você será sempre uma referência positiva e conseqüentemente manterá o seu networking ativo”, explica Cezar.

Se mudar de área, conte para todo mundo

“Mantenha o seu grupo de relacionamento informado sobre suas atividades profissionais, mudança de emprego, promoções, um novo empreendimento, um grupo que participe ou lidere, etc.”. É preciso que eles saibam quais são as suas novas atividades caso precisem de ajuda ou possam te oferecer algo na sua nova jornada.

Acesse as Redes Sociais

Redes sociais oferecem maneiras bem fáceis de estabelecer contatos. “As empresas e grande parte de seus executivos consultam essas redes, portanto ao fazer um perfil, evite brincadeiras inadequadas, podem ser mal interpretadas por quem ainda não te conhece. Entre em grupos relacionados à sua área de atuação, dê opiniões, proponha soluções, conte suas experiências e evite falar de problemas e fazer criticas”.

Participe de eventos (cursos, seminários, palestras, reuniões, etc.)

“Eventos presenciais, principalmente os ligados à sua área de atuação e à sua posição, são fundamentais para manter seu networking”. Estar em uma palestra com diversos profissionais é uma oportunidade de ouro para estabelecer novos contatos. Alguns palestrantes até praticam dinâmicas de grupo para ajudar no relacionamento dos presentes.

Colabore com os membros do seu networking e esteja sempre presente

“Estar presente é fundamental para manter o networking ativo”, garante Cezar. Um email ou um telefonema, principalmente em datas especiais como aniversário ou uma promoção, não exigem muito tempo e são suficientes para cultivar os relacionamentos. “Não procure o grupo apenas nos momentos que precisa de ajuda, criar uma imagem de que “só procura o grupo quando precisa” é difícil de mudar e tem conseqüências desastrosas para o networking.

Os textos mais lidos no blog da ABRH em 2011

Já que estamos na temporada de retrospectivas, vamos aproveitar para fazer a nossa própria lista dos melhores momentos do ano: separamos para vocês os assuntos que mais chamaram a atenção dos nossos leitores. Abaixo, os 10 textos mais lidos no blog.

01 – Dicas para bom uso do e-mail corporativo

A presença deste texto no primeiro lugar da lista prova que o e-mail é uma ferramenta muito utilizada no meio corporativo, mas ainda tem gente com medo de pisar na bola. Não se preocupe, aqui estão algumas dicas para não acabar como o executivo que foi recentemente demitido por ofender um candidato a emprego. Leia mais.

02 – Relação Chefe x Funcionário: 5 dicas para não perder o rumo

Ser amigo ou severo, enturmado ou distante, respeitado ou temido. Qual é a postura ideal que um chefe deve tomar para que a sua relação com os funcionários seja harmoniosa e renda bons resultados? Leia mais.

03 – Lei do Estágio – O que mudou 2 anos depois…

Estagiários são mesmo uma mão na roda no dia a dia das empresas, mas é preciso estar atento às leis para que a ajuda não acabe se tornando um problema. Leia mais. 

04 – Mulheres no poder

A presença das mulheres em cargos estratégicos aumentou vertiginosamente nos últimos anos. A ideia do “sexo frágil” no poder é um conceito passado e a perspectiva é que cada vez mais elas conquistem o seu lugar no mercado. Leia mais.

05 – Redes sociais no trabalho: preserve sua imagem

As redes sociais foram a grande tendência no mundo em 2011. Na área de RH, foi muito discutido sobre permitir ou não o uso destes sites no trabalho. Vale a pena conferir algumas dicas a respeito do assunto, para não comprometer o desempenho nem a motivação da equipe. Leia mais.

06 – Inclusão social no ambiente de trabalho

Será que as empresas estão preparadas para a inclusão de funcionários portadores de necessidades especiais? Este texto discute a legislação, os programas e como preparar o ambiente para que isso seja feito. Leia mais.

07 – Como escolher o melhor curso de Pós-Graduação

Especialização é a chave para um futuro promissor na carreira. Em um mercado cada vez mais disputado, cada passo para o aprimoramento é uma abertura para progredir profissionalmente. Mas como saber qual é o melhor curso de pós-graduação para atingir seus objetivos? Leia mais.

08 – Feira de Negócios do CONARH ABRH 2011 terá cerca de 100 expositores e mais de 50 palestras gratuitas

O CONARH recebeu 18 mil visitantes em sua edição de 2011. Foram 3.400 congressistas, 100 expositores e mais de 50 palestras gratuitas. Leia mais.

09 – Dicas para não errar nas roupas no trabalho

Escolher a roupa para ir trabalhar pode ser um grande desafio, ainda mais quando o verão está chegando e você se sente tentado a utilizar camisas mais leves e abertas. Por isso estas preciosas dicas para homens e mulheres que não querem passar calor, mas também temem utilizar um visual inadequado na empresa. Leia mais.

10 – A importância do Endomarketing

Você sabe o que é Endomarketing? Bem, talvez seja uma boa hora para conhecer esta ferramenta tão usada na gestão de pessoas e descobrir algumas estratégias interessantes para aplicar na sua empresa. Leia mais.