A ABRH-Nacional tem um recado para você

Durante mais de quatro anos, o blog da ABRH-Nacional esteve aqui, buscando interagir e levar assuntos relevantes para os nossos leitores – líderes, gestores de RH, funcionários, colaboradores… praticamente qualquer pessoa que vive e respira esse mercado de trabalho.

Agora chegou o momento de mudar para um novo teto, uma nova casa: vamos concentrar nossos esforços em nossa fanpage no Facebook.

Foram quatro anos de sucesso. Neste tempo, publicamos 801 textos de diversos temas. Recebemos mais de 458 mil visitas – uma média de mais de 100 mil visitantes por ano, que deixaram 315 comentários com mensagens positivas e dúvidas. Estas pessoas foram vocês e ficamos felizes de saber que estiveram conosco durante todo este tempo e nos ajudaram a conquistar todas estas marcas.

Trabalhamos agora para melhorar nosso canal de comunicação com vocês. Temos muitos planos para potencializar a nossa página do Facebook em um local de informação e conhecimento, assim como sempre aconteceu em nosso blog, sempre com uma linguagem bem-humorada e próxima do leitor (agora “fã”).

Esperamos agora contar com a sua participação ativa na fanpage da ABRH-Nacional. Curta a nossa página para acompanhar as atualizações e será bem-vindo para comentar sempre que quiser. Na verdade, já existem mais de 4 mil pessoas fazendo isso por lá. Basta clicar aqui para conferir.

Anúncios

Por que fazer uma página e não um perfil da sua empresa no Facebook?

Fanpage ou Perfil? Muitas vezes esta dúvida pode surgir na hora de colocar a sua empresa na era das redes sociais. Se você criar uma página, terá acesso a várias ferramentas específicas para os negócios, mas demorará mais tempo para conseguir fãs. Como perfil, sua empresa rapidamente se entrosaria com os usuários, criaria uma base de amigos, mas ficaria limitado a 5 mil contatos e, convenhamos, não passaria uma imagem muito profissional. E agora?

Se você já leu os termos de uso do Facebook – e duvido que muitos já o tenham feito – eles colocam esta questão de maneira clara: se você é uma pessoa, faça um perfil; se a conta for de uma empresa, faça uma fanpage (ou página). E você deveria seguir estas “regras” sugeridas pela equipe de Mark Zurkerberg por mais motivos do que você pode imaginar. Para isso basta acessar o Facebook com o seu perfil mesmo e entrar em “Crie uma Página”. Você será automaticamente nomeado administrador dela.

Existem dois motivos muito convincentes para sua empresa jamais se cadastrar no Facebook como perfil pessoal. O primeiro, já citado, é o limite máximo de amigos que um perfil pode ter, Veja o exemplo da Coca-Cola, que hoje está com 37.049.179 fãs. Se você quer crescer nas redes sociais, um perfil jamais servirá para você. O segundo ponto é que, num piscar de olhos, o Facebook pode excluir todo o seu trabalho, já que você está infringindo as regras. E acredite: isso acontece e sem aviso prévio.

Como migrar para página

Se você já criou o perfil, não se desespere. O próprio Facebook criou uma ferramenta para que você o transforme em fanpage. É só acessar este link, colocar o perfil que deseja converter em página e a rede social faz a migração automática dos amigos em fãs.

“Redes sociais podem reter e atrair talentos”, diz VP do Facebook

Com um turn over médio de 61% entre os jovens funcionários, a empresa amricana de venda online de produtos eletrônicos, a Best Buy, conseguiu reduzir a rotatividade de empregados para uma média entre 8 a 12%. A empresa criou a rede social Blue Shirt Nation e conseguiu conectar jovens com afinidades.  Eles começaram a discutir, por meio de fóruns virtuais, os caminhos a trilhar na carreia e, inclusive, puderam trocar experiências sobre o trabalho, técnicas de vendas, entre outros. Com isso, a empresa conseguiu engajar os jovens e reter talentos.

O exemplo de impactos positivos que as redes sociais podem trazer para o ambiente de trabalho foi apresentado pelo vice-presidente de vendas para a América Latina do Facebook, Alexandre Hohagen. O executivo apresentou ontem (16/08) à platéia do 37º Congresso Nacional sobre Gestão de Pessoas como as redes sociais estão transformando a sociedade e colocando as pessoas no centro das discussões. “Com as primeiras ferramentas disponibilizadas pela Internet, as pessoas utilizavam apelidos. Hoje, a identidade das pessoas é real para relacionarem-se no meio virtual”, explicou.

Sobre a eterna discussão em bloquear ou não o acesso de funcionários às redes sociais, Hohagen acredita que é um caminho sem volta. “Atualmente, qualquer pessoa com celular pode acessar o Facebook e outras redes. Não há como controlar”, alertou. Além disso, ele mostrou uma pesquisa do grupo ClearSwift que revelou que cerca de 57% dos jovens entrevistados acessam as redes durante o trabalho. Dentre os jovens questionados pelos pesquisadores, 21% afirmou que deixaria a empresa caso esta bloqueasse o acesso às redes.

Para Hohagen, estar conectado às redes sociais é essencial para que os jovens se mantenham ativos e produtivos. O executivo citou uma segunda pesquisa, realizada pela Companhia McKinsey, que mostra que os jovens se mantêm mais criativos, engajados e conectados. Além disso, o mesmo estudo concluiu que 8% das empresas entrevistadas relatou aumento na margem de lucro a partir das redes sociais.

Questionado sobre os desafios do executivo para o Facebook no Brasil, Hohagen apontou um aspecto muito próximo da realidade dos profissionais de recursos humanos: “Preciso de gente capacitada, novos talentos para montar a equipe de operações da empresa no Brasil”.

CONARH ABRH 2011 – Líderes de empresas de expressão no país estarão no evento

Por Thais Gebrim/ABRH-Nacional

Odebrecht, Bradesco, HP, PriceWaterhouseCoopers, Facebook e Calçados Bibi são empresas com atividades em segmentos econômicos bastante distintos. Em comum, além de serem ícones em suas áreas de atuação, são companhias dirigidas por líderes que entendem a gestão de pessoas como parte integrante da estratégia para o sucesso dos negócios.

De 15 a17 de agosto, eles estarão no CONARH ABRH 2011 – 37º Congresso Nacional sobre Gestão de Pessoas, que a ABRH-Nacional e a ABRH-SP vão promover no Transamerica Expo Center, na capital paulista.

“A ABRH reconhece que as áreas de Recursos Humanos de sucesso têm como alicerce o apoio de lideranças que fazem a diferença no país. Nesse sentido, o CONARH ABRH é sempre pioneiro em trazer a voz desses presidentes, demonstrando suas práticas de liderança em total alinhamento com RH. Costumo dizer que são presidentes à frente do seu tempo, reconhecendo que pessoas em ação constroem resultados inimagináveis”, assinala Leyla Nascimento, presidente da ABRH-Nacional.

Logo na abertura do congresso, o público terá acesso a um amplo conteúdo sobre os cenários do Brasil traçados por Marcelo Odebrecht, que traz no sobrenome a empresa que preside, e Luiz Carlos Trabuco Cappi, diretor-presidente do Bradesco. Ambos, de acordo com Leyla, são referências pela forma como lideram as pessoas de suas organizações e estão fazendo história em empresas brasileiras de ampla ação internacional, tornando-as exemplos de dentro e fora do país.

Foco nos colaboradores

Outro destaque é Alexandre Hohagen (foto), que, no início do ano, saiu da Google para assumir a vice-presidência na América Latina do Facebook, tornando-se o primeiro homem da empresa no continente. Ninguém melhor do que ele para tratar da revolução que as redes sociais vêm provocando no universo corporativo. Pelo receio de queda na produtividade e de exposição de informações confidenciais, entre outros fatores, empresas de diferentes partes do mundo tentam controlar o uso de mídias sociais no trabalho. Segundo uma pesquisa de 2010 feita pela Manpower, o Brasil lidera a lista: mais de 50% das organizações do país têm alguma política nesse sentido, ante 20% da média global.

Oscar Clarke assumiu, em abril do ano passado, a presidência da HP Brasil, depois de presidir a Intel por seis anos. Seu principal desafio era motivar as pessoas depois de a HP realizar mundialmente uma série de aquisições – mais de 40 empresas em quatro anos. Na palestra Espaço de RH: Demandas, riscos e entregas, juntamente com Fernando Alves, presidente da PwC Brasil, uma das mais importantes empresas globais nas áreas de consultoria e auditoria, Clarke vai abordar a atuação da área de Recursos Humanos nesse processo.

Marlin Kohlrausch, presidente da Calçados Bibi, fabricante de calçados infanto-juvenis sediada no Rio Grande do Sul, participará do congresso para tratar da gestão de pessoas como atributo de todo dirigente de empresa com visão de futuro. Na palestra Excelência em gestão de pessoas: Caminho crítico para o grande executivo, o público vai conhecer como isso vem acontecendo na prática na Calçados Bibi desde 1986, quando Kohlrausch assumiu o cargo de presidente.

CONARH ABRH 2011: Dicas para você se localizar!

Mais de 50 atividades entre palestras magnas e simultâneas, cases, oficinas, fóruns e debates. Mais de 100 organizações expondo e discutindo as novidades e tendências em gestão de pessoas, além da presença de Marcelo Odebrecht (Diretor Presidente da Odebrecht), Luiz Carlos Trabucco (Presidente do Bradesco), Alexandre Hohagen (Vice-presidente do Facebook para a América Latina) e Luciano Siani (Diretor Global de Recursos Humanos da Vale) entre os congressistas. Com tudo isso, não podíamos deixar que você se perdesse dentro do CONARH ABRH 2011.

Além de novos conceitos, abordagens, espaços de convivência, cenografia sustentável e tecnologia de ponta, este ano toda a estrutura e a sinalização do evento foi pensada com o objetivo de otimizar a circulação de pessoas no espaço de exposições e permitir que você consiga aproveitar ainda mais tudo o que o CONARH ABRH 2011 traz para você. Quer saber como? Confira o vídeo abaixo.