Saiba como é o trabalho de profissionais especializados em RH

Por Taynã Almeida

Muitos profissionais que trabalham em recursos humanos tiveram formação distinta, como explica Heloisa Machado, diretora de Gestão da Comunicação da Associação Brasileira de Recursos Humanos (ABRH-Nacional). “Na área de RH há um contingente grande de profissionais oriundos da psicologia, por exemplo. Mas há também pessoas com formações diversas como administração e sociologia”, aponta.

 

Heloisa conta que cabe ao profissional especializado em RH analisar currículos, realizar entrevistas, avaliar e discutir sobre as recomendações de psicólogos, estudar a adequação de perfil, entre outras atividades. Em parceria com esses profissionais, psicólogos também podem realizar a mesma função. Entretanto, por lei, apenas formados em psicologia podem aplicar e interpretar testes psicológicos.

“Além da preparação técnica, os profissionais que trabalham com contratação devem se aprofundar em aspectos das ciências humanas”, diz Heloisa. Portanto, leitura e conhecimento de filosofia, antropologia, sociologia e psicologia (para aqueles que não têm esta formação) são fundamentais para melhor avaliar os candidatos.

“Adicionalmente o conhecimento e aprofundamento das artes em geral, como leitura, teatro, cinema, música e artes plásticas, deve ser um hábito nestes colaboradores”, alerta a diretora. Para não ficar dúvida, é importante ressaltar que a diferença entre esses profissionais pode estar relacionada à formação, aos conhecimentos adquiridos e às experiências que estes profissionais carregam na ‘bagagem’.

Anúncios

Vida após aposentadoria

por Taynã Almeida

O mercado de trabalho para profissionais aposentados está cada vez mais aquecido. Em geral, as empresas e instituições estão confirmando que o equilíbrio entre experiência e o novo traz força e ótimos resultados. É o que acredita Heloisa Machado, diretora de Gestão da Comunicação da Associação Brasileira de Recursos Humanos (ABRH-Nacional).

Entretanto, Heloisa alerta para os riscos em manter pessoas aposentadas, pelo fato de não ser possível acumular dois benefícios da Previdência Oficial. Caso haja necessidade de afastamento (por doença ou por acidente), por exemplo, o colaborador não recebe assistência formal. “Nestes casos, o funcionário fica impedido de realizar o desligamento, e a empresa tem que continuar pagando os salários e demais benefícios”.

Um dos motivos que levam muitos profissionais aposentados a continuar trabalhando é a necessidade de complementar a renda familiar. “A mentalidade de poupar ainda é incipiente no Brasil. As pessoas não se preparam financeiramente para este momento”, destaca a diretora. 

Quando se pensa em aposentadoria, a maioria da população almeja outro ritmo de vida, desapegada dos compromissos profissionais. Por outro lado, não são poucos os que temem essa ruptura. “Alguns aposentados não sabem lidar com a falta de rotina e sentem falta da rede de relacionamentos formada durante a carreira. Infelizmente, ainda há pouca preparação para este importante momento de transição”, aponta Heloisa Machado.

Férias pode ser período propício para alavancar a carreira

 

Por Aline Alves

É possível fazer currículo, network, melhorar o uso das tecnologias e redes sociais ou, simplesmente, viajar para conhecer pessoas e paisagens

O fim de ano passou e você não alavancou a carreira como precisava e queria? Não tem problema. O período de férias pode ser propício para fazer as mudanças que você precisa para conquistar o cargo desejado ou remanejar a carreira.

Heloísa Machado, Diretora de Gestão da Comunicação da Associação Brasileira de Recursos Humanos (ABRH-Nacional) aponta que quando o profissional está insatisfeito com a carreira, o primeiro passo é não pensar apenas no ganho material, mas com o que o profissional se identifica, pois o ganho material, argumento frequente quando se fala em insatisfação com a carreira, é consequência de talento e experiência a serviço da qualidade e da produtividade.

“Férias é um período em que dispomos de mais tempo, principalmente para fazer o que deixamos por último. Então, priorize-se. Visite sites de recrutamento, envie currículos, verifique cursos que podem ajudá-lo, faça network, tente conversar com profissionais com carreira inspiradora, abra a cabeça para alternativas, faça cursos de Verão, além disso, melhore o uso das tecnologias e das mídias sociais disponíveis”, explica Heloísa.

Com a economia aquecida, estamos vivendo uma época propícia para a procura de emprego, no entanto, as vagas disponíveis exigem cada vez mais formação básica (segundo grau completo ou graduação), conhecimentos técnicos e cursos de idiomas.

“E se você achar que seu currículo está ótimo, aproveite o tempo para viagem de férias, pois se traz muita bagagem intelectual e emocional. Viaje para conhecer pessoas e paisagens. Volte maior das suas viagens ou simples passeios. Certamente isto terá um impacto positivo em seu trabalho algum dia”, finaliza a consultora.

Os talentos de valor da TV Globo

Heloísa Machado, Diretora de RH da TV Globo, esteve no CONARH 2008 acompanhada de Silvio de Abreu, Willian Bonner e Tony Ramos, para falar de “Talentos de Valor”.

Ela assinalou que, no Brasil, para boa parte da população, a tv aberta é a única fonte de entretenimento, o que amplia a responsabilidade social da empresa.

Segundo ela, a Globo tem como um de seus mais importantes valores a cultura brasileira e atua com o objetivo de difundir essa cultura no Brasil e no mundo.

Veja um trecho da palestra de Heloísa no vídeo acima.