CONARH 2012 – Alegria, Paixão e Engajamento – Uma Construção Coletiva

Por Evelyn Carvalho

O encerramento do CONARH 2012 foi em clima de apoteose. A última palestra magna do evento foi ministrada pelo carnavalesco da Unidos da Tijuca, Paulo Barros, campeão por duas vezes do carnaval carioca. O tema foi “Alegria, Paixão e Engajamento – Uma Construção Coletiva”.

Barros deixou sua marca de ousadia no já tão consagrado desfile de escolas de samba do Rio de Janeiro. “Acho que o bacana é esquecermos a ideia de começo, meio e fim. É preciso desconstruir para construir algo novo”.

Para mudar paradigmas da festa, Barros teve que contar com o apoio de toda a equipe, em um exercício contínuo de diálogo e liderança. Ressaltou por diversas vezes a importância do trabalho em conjunto e da responsabilidade do líder em buscar o engajamento das pessoas. “Desfilar não é só colocar uma fantasia bonita e ir para a avenida. O Carnaval é uma engrenagem, e todos têm que se comprometer e executar o seu papel”.

A palestra foi repleta de exemplos de como a união em torno de uma ideia foi fundamental para sua materialização. Os carros alegóricos coreografados e as comissões de frente com truques de mágica foram alguns desses exemplos. Para ilustrar a ideia de que por vezes é preciso “perder a cabeça”, Barros trouxe para o CONARH o membro de uma de suas comissões de frente mais célebres, do Carnaval de 2011 da Unidos da Tijuca. Ao ver a cabeça do rapaz deslizar até o meio do corpo, os participantes do CONARH não esconderam o susto, mas optaram por não saber como a ilusão é feita para não perderem o encanto.

Confiança, percepção sobre o outro, interferência nos conceitos pré-estabelecidos, comprometimento, materialização e enxergar além foram alguns dos temas-chave abordados na apresentação. “Ás vezes temos que mudar conceitos para que isso viabilize o nosso trabalho e o nosso sucesso”, declarou o carnavalesco. Como conclusão, deixou uma mensagem de otimismo e valorização das pessoas. “Toda a nossa vida está pauta em quem está do nosso lado”.

Fotos: Renato Ramalho

Anúncios

CONARH 2012: Aprendendo com quem é líder pelo exemplo

Por Jessica Marins

O CONARH 2012 trouxe na tarde de ontem dois palestrantes cheios de histórias para contar ao público: o presidente da Nextel Telecomunicações, Sergio Borges Chaia, e a presidente da marca de roupas Dudalina, Sônia Hess.  Eles contaram de uma maneira divertida como conseguiram chegar no cargo em que estão hoje.

Sergio Borges Chaia começou a palestra contando que sonhava em ser jogador de futebol, mas os treinos o impediriam de estudar – ele teria que treinar de manhã e de tarde e sua escola não oferecia aulas no período noturno. Com a ajuda de seus pais, optou por continuar estudando e decidiu então ter outro sonho no qual ele tinha metas , criadas por ele mesmo. Uma dessas metas dizia que ele precisava ser presidente antes do 40 anos, objetivo cumprido aos 37.

Em sua primeira experiência no cargo que tanto sonhou os desafios não foram tão felizes e logo surgiu uma grande decepção. O presidente descobriu que havia muita bajulação e percebeu que seu sucesso foi após espremer laranjas humanas, como ele mesmo define. “Eu fui por esse caminho, pelo propósito errado. Eu era presidente, mas não tinha o reconhecimento das pessoas”.

Sergio declarou que não considera um exemplo de líder e diz que apresentou a palestra para promover uma discussão. “Eu quero gerar uma provocação para os outros gestores repensarem sua forma de governar, e para que se necessários eles possam adequar uma nova maneira bacana de gestão”. Chaia ainda diz que quer ser exemplo de uma pessoa que reconhece as suas fraquezas e luta todos os dias para ser uma pessoa melhor.

Com o microfone em mãos chega a vez de Sônia Hess contar suas experiências. “Ser presidente depende do que você quer e egoísmo de poder não existe”, declarou a executiva. Além disso, Sônia falou também sobre as dificuldades em liderar uma empresa formada por 15 irmãos.

A presidente da Dudalina disse acreditar que é necessário trabalhar a felicidade das pessoas, pois assim elas irão se sentir bem no ambiente em que trabalham e vão ter mais vontade e mais prazer. Hess diz ainda que para fazer parte de sua equipe é necessário que tenha a empresa no coração. “Devem correr nas veias sangue pink, azul, verde… Um de cada cor por dia para não perder o ânimo”.

Sônia enxerga como grande desafio passar para o mercado os valores tão fortes que a marca carrega. “Sonhe um sonho pronto. Sempre que você sonhar algo o enxergue pronto e vá atrás”, aconselha.

Sérgio indica aos novos empreendedores que formem um time de colaboradores que sejam complementares e que se cerquem das melhores pessoas, pois acredita que é preciso saber das fraquezas e fortalezas da empresa. O seu conselho final é “Tudo que você quer do mundo, dê pro mundo. Se você quer ser feliz, proporcione felicidade, se quer uma promoção, antes promova”, afirma o presidente da Nextel.

Fotos: Marcelo Hamamoto

Presidente da SHRM vem ao CONARH para inspirar mudanças nas empresas brasileiras

Por Rafael Duarte

Hank Jackson veio ao Brasil com dois propósitos: 1) aprender como são as leis trabalhistas e as características de nossos funcionários e 2) passar aos nossos gestores a experiência que tem à frente da SHRM (Society for Human Resource Management). Ele mesmo disse, em sua palestra no CONAHR 2012, ter realizado o primeiro desafio com a ajuda da Leyla Nascimento, presidente da ABRH-Nacional, Elaine Saad, vice-presidente da ABRH-Nacional e o Luis Edmundo, Diretor de Educação da associação.

É evidente que uma organização como a SHRM só teria a agregar em um evento nacional de gestão de pessoas. Hank focou, em sua palestra, em um ponto muito importante e extremamente delicado para qualquer companhia: mudanças. “As tecnologias da comunicação nunca evoluíram tanto quanto nos últimos tempos. Isso muda o jeito como nós vivemos e trabalhamos”, justificou Hank. Não dá mais para ficar parado com tantas coisas acontecendo e mudando a maneira como trabalhamos e alterando direcionamentos de negócios de maneira tão radical.

Segundo Hank, “O local de trabalho do futuro irá precisar do RH do futuro, da criatividade para a mudança”. Mudança é uma atitude que deve ter o apoio do gestor de pessoas e das lideranças da empresa. É um processo de desapego muito difícil, alterar a maneira como as pessoas trabalham em sua empresa e como os líderes vêem estas mudanças. “Se nós estamos imaginando o local de trabalho do futuro, a ABRH-Nacional é quem vai te ajudar”.

A ABRH-Nacional e a SHRM funcionam como norte, para que você acompanhe as tendências, informe-se sobre o que está sendo feito e quais os bons resultados estas mudanças estão gerando. Como o próprio Hank disse, “se você não sabe para onde vai, você acabará em outro lugar”. É para isso que estamos no CONARH 2012, não é mesmo? Para buscar uma orientação e levar novidades às nossas empresas. E o Hank, em sua palestra, conseguiu realizar o seu segundo objetivo, o de motivar os RHs brasileiros a compartilhar de sua experiência e entender a importância das mudanças.

Fotos: Mara Marsal

ABRH-AL promove congresso sobre sustentabilidade nas organizações

Em outubro, a ABRH-AL trouxe para a cidade de Maceió o programa diferenciado de treinamento “O Funcionário Pré-Pago”, do Grupo Santa Gente. A palestra/show relatou de maneira divertida e inovadora o cotidiano do mundo corporativo, por meio de músicas ao vivo e atuações cênicas . A palestra aconteceu no dia 27 de outubro, às 19 horas, no Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia.

Fernando Henrique Cardoso acredita que faltam valores

Em palestra que reuniu mais de 3.000 profissionais de RH no CONARH 2009, o Presidente Fernando Henrique Cardoso (1995-2002) lembrou que o Brasil precisa de pessoas com atitude, que digam o que querem e defendam sua visão. Ele assinalou que há um descasamento entre a política e a sociedade, o que leva muitas pessoas a se tornarem descrentes do político, deixando de expressar suas opiniões de exigir coerência dos políticos. Segundo ele, embora o Brasil venha experimentando mudanças em todas as áreas, com bom desenvolvimento, falta ao país o desenvolvimento de valores, um requisito essencial da modernidade. Veja no vídeo abaixo um trecho da palestra de Fernando Henrique Cardoso no CONARH 2009.

Simone Rocha fala sobre Gestão de Pessoas

Jornalista e Diretora Executiva da organização Médicos Sem Fronteiras, Simone Rocha estará presente no CONARH 2009 falando sobre o tema “Gestão de Pessoas no Limite”.

Simone atua há 10 anos na ONG, que presta assistência humanitária a vítimas de guerras, catástrofes naturais, epidemias e desnutrição pelo mundo.

No Brasil, a ONG é responsável pela única unidade de emergência do Complexo do Alemão, no Rio de Janeiro, e já recebeu mais de oito mil pacientes, a maioria vítimas de violência e de acidentes. Além disso, ela realiza a capacitação de profissionais da saúde para trabalhar em outros projetos da organização, como o controle da doença de Chagas na Amazônia.

Gerente de Novos Talentos do Banco do Brasil participa do CONARH 2009

Pedro Paulo Carbone, Gerente Executivo de Identificação de Talentos e Desenvolvimentos de Competências do Banco do Brasil, estará no CONARH 2009 para falar sobre o tema “A Reinvenção da área de RH e a Transformação dos Profissionais de Gestão de Pessoas”. Professor do MBA Gestão de Pessoas da Fundação Getulio Vargas/DF, Carbone é autor de diversos artigos e livros sobre o tema, entre os quais o recém editado “Gestão por Competência e Gestão do Conhecimento”, da editora FGV. “A área de gestão de pessoas possui um papel fundamental na medida em que seus diversos subsistemas podem promover ou induzir o desenvolvimento profissional e, por conseguinte, a eliminação de lacunas de competências” assinala Carbone.