Informativo da ABRH-Nacional no Estadão 30/08/2012

Informativo da ABRH-Nacional no Estadão 22/03/2012Perdeu o Estadão desta quinta-feira? Não se preocupe. Aqui está a versão digital do Informativo da ABRH-Nacional com uma matéria a respeito sobre o novo curso de Desenvolvimento de Líderes de RH, resultado da união da ABRH-Nacional, Great Place to Work e Ânima Educação. Além disso, destaque para os ganhadores do Prêmio Ser Humano na modalidade Gestão de Pessoas, categoria Empresa. Confira aqui.

Como escolher o melhor curso de Pós-Graduação

por Taynã Almeida

Na hora de ingressar numa pós-graduação, muitas pessoas ainda ficam na dúvida se devem escolher em curso tradicional de especialização ou um MBA. De acordo com o diretor de Educação da ABRH-Nacional, Luiz Edmundo Rosa, os programas de Pós- Graduação se dividem em duas categorias: Stricto Sensu (direcionado para a formação cientifica e acadêmica, como mestrado e doutorado) e Lato Sensu (curso de especialização direcionado a uma área profissional).

A especialização tradicional tem, em média, 360 horas de conteúdo programático (1 a 2 anos de curso). Ela tem um perfil mais acadêmico e genérico, sempre concluída com um projeto final uma monografia ou artigo científico. O curso também contempla uma maior pluralidade de temas, buscando a formação multidisciplinar do aluno.

Já o MBA (Master of Business Administration) tem carga mínima de 400 horas (em média, 2 anos de curso) e considera como pré-requisito a experiência profissional anterior dos alunos O enfoque é mais voltado para a rotina empresarial e preparação de executivos e futuros líderes. O projeto prático de conclusão do curso normalmente traz uma simulação de desafios empresariais, como abertura de capital, fusão e lançamento de uma nova linha de negócio.

Para Luiz Edmundo, muitos cursos de MBA no Brasil são superficiais, quando comparados com os melhores programas internacionais. Apesar dessas diferenças, o diretor afirma que as especializações são bem-vindas no mundo empresarial. “As empresas não avaliam seus colaboradores apenas pelos programas que fizeram. Também levam em conta suas atitudes, comportamentos e resultados”, explica.

Entretanto, é importante pesquisar sobre os cursos. A falta de informações, orientações e até mesmo decisões precipitadas podem representar um enorme revés para os estudantes. Isso porque não são poucos os que optam por programas distantes de seus interesses e competências, gerando um sentimento de frustração. “A questão não está no erro, mas no desperdício de tempo e dinheiro. É essencial que as pessoas, antes de tomar uma decisão, procurem se informar, não só acessando folhetos, sites, coordenadores dos programas, mas também conversando com alunos, ex-alunos e profissionais mais experientes.”, orienta Luiz Edmundo.

Estudar sempre promove a capacidade de pensar, entender novos valores e possibilidades. Por entender isso, algumas empresas oferecem ajuda para que os profissionais escolham determinados cursos. “Quando a empresa financia o curso, o ideal é negociar a melhor convergência dos objetivos de ambos. Não tem sentido alguém se especializar em algo que não tenha interesse, assim como a empresa não deveria financiar algo que a pessoa não se sinta motivada. O jogo do ‘faz de conta’ é prejudicial a ambos”, destaca o diretor.

Internacionalização do Brasil promoveu boom de MBAs

Maria Tereza Leme Fleury, Diretora da Escola de Administração de Empresas de São Paulo da Fundação Getúlio Vargas, participa do CONARH 2009, onde vai debater a educação executiva no Brasil. Segundo ela, o Brasil tem mais de 3 mil escolas e 80 programas de pós-graduação em administração de empresas, um número bastante elevado. Esse boom de escolas de administração intensificou-se a partir dos anos 90, com a abertura da economia brasileira. Segundo ela, as críticas às empresas de administração, em função da crise econômica, também atingiu o Brasil, o que vem promovendo uma mudança dos currículos escolares. Veja no vídeo abaixo a primeira parte da entrevista com a palestrante do CONARH 2009.

Você pode assistir a todos os trechos da entrevista com Maria Tereza Leme Fleury no Canal de vídeos do CONARH no YouTube

Gestão da comunicação na ECA-USP

Entre 16 e 27 de fevereiro estarão abertas as inscrições para o curso de pós-graduação em Gestão da Comunicação da Escola de Comunicações e Artes da USP. Um dos mais conceituados cursos de comunicação do país para profissionais de quaisquer áreas, desde que com graduação superior em qualquer área do conhecimento, o curso da ECA-USP busca formar gestores de comunicação em ambientes empresarial, cultural e educacional. Para mais informações, clique aqui.