Feng Shui: a importância de um bom ambiente de trabalho

A sua área de trabalho é o lugar onde você passa a maior parte do seu dia. Portanto, é preciso cuidar bem deste espaço que te abrigará ao menos por sete horas diárias, e onde você terá de tomar as principais decisões em relação ao que você faz para viver. Buscamos algumas dicas do Feng Shui para te ajudar a cuidar deste ambiente. Continuar lendo

Anúncios

Meditação pode aliviar o estresse no trabalho

Se você organizar uma reunião com todos os funcionários da sua empresa e pedir para que aqueles que nunca passaram por uma situação estressante no trabalho levantem a mão, é capaz de não ver nenhuma mão no alto, ou poucas. Segundo uma pesquisa da Workplace Survey, apenas 22% dos executivos brasileiros nunca sofreram uma experiência estressante, por exemplo.

Quem leu o texto da semana passada do nosso Blog irá se lembrar do que disse Luiz Edmundo, diretor de educação da ABRH-Nacional: “Na maioria dos casos, todo mundo tem uma parcela de responsabilidade sobre o próprio estresse”. Isso inclui não se preocupar com a saúde, não reservar um tempo para a prática de atividades físicas entre outras negligências. Nesta semana vamos falar sobre algo que pode te ajudar a superar o estresse e melhorar a sua qualidade de vida, a meditação.

Não se atenha aos estereótipos: meditar não significa sentar de pernas cruzadas sobre uma almofada, de olhos fechados e pronunciando o famoso “hummm”. Segundo Saulo Nagamori Fong, coach, palestrante e treinador em meditação no Instituto União, a meditação é um estado de espírito, algo que pode ser feito o tempo inteiro, durante todo o horário de trabalho e assim estar consciente de como os problemas e situações estressantes são refletidos no seu corpo.

“A pessoa vai sentir o estimulo que causou algum desconforto, como um imprevisto no trabalho. Por estar prestando atenção, ela vai perceber no corpo o que está acontecendo”, explica Saulo. Ter consciência de como os problemas são refletidos no seu corpo, com uma tensão no ombro, por exemplo, é o primeiro passo para relaxar o corpo e a mente e se livrar do estresse.

Parece simples, mas exige treinamento. Saulo dá algumas dicas, que costuma passar para quem participa de seus cursos e palestras, sobre como passar a incorporar a meditação para levar uma vida menos estressante, não apenas no trabalho. Prestar atenção na respiração, para deixá-la fluida, e sentir os pés no chão é um começo para passar a ter consciência do seu corpo. “Prestar atenção em si mesmo acaba virando um hábito, vai ficar muito natural. Entre o estimulo e a resposta emocional, a pessoa vai tomar consciência e poder ter uma outra possibilidade de ação”, garante Saulo.

Outra dica é reservar alguns minutos do dia para fazer uma auto observação. “Não precisa fazer por um período muito longo, mas sim muitas vezes no dia. Fechar os olhos, sentir a respiração, os pés no chão, os pensamentos”. Você pode fazer isso durante um minuto quando chegar à sua mesa no trabalho, antes de se levantar, ao sentar no carro para ir para casa, enfim, sempre há uma oportunidade e um minuto não fará falta para ninguém.

Sete dicas para aumentar a qualidade de vida dos funcionários da sua empresa

Por Rafael Duarte

Todos querem ter qualidade de vida. É o tipo de coisa capaz de manter um funcionário, mesmo que lhe ofereçam um salário melhor em outra empresa. Pensando assim, todo gestor de Recursos Humanos deveria, além de cuidar de toda a papelada (a parte técnica do RH), reservar um bom tempo para prestar atenção nas condições das pessoas com quem trabalha e agir para melhorá-las sempre. Isso pode diminuir o turnover de uma empresa e até aumentar a produtividade dos colaboradores.

É claro que qualidade de vida não é a resposta para todos os problemas ou uma receita instantânea para melhorar o desempenho de seus funcionários, mas, a longo prazo, o retorno é garantido. Basta observar as pesquisas do tipo “Melhores Empresas para Trabalhar” ou “Empresas com Melhor Qualidade de Vida” e comparar com os resultados financeiros destas companhias. Cuidar do capital humano tornou-se uma das responsabilidades dos RHs, algo que vai além das papeladas e benefícios.

Segundo Luiz Edmundo, diretor de educação da ABRH-Nacional, ter qualidade de vida é estar física, psicológica e socialmente bem. “A qualidade de vida é um conceito que evoluiu nos anos 1990, ela é complementar ao conceito de saúde. Antigamente, saúde era tratada como um oposto a doença. Se você não tinha doença, tinha saúde. Com a evolução da própria medicina e da gestão de pessoas, a gente descobriu que eu posso não estar doente, mas também não ter saúde”.

Confira sete dicas de Luiz Edmundo para melhorar a qualidade de vida na sua empresa:

Tente entender pelo que seus funcionários estão passando

“A empresa tem como medir a qualidade de vida de seus funcionários, e deveria fazer isso”, ressalta Luiz Edmundo. Segundo ele, duas maneiras eficientes de se fazer isso seriam com questionários, em que as pessoas dizem como estão se sentindo, ou pelos resultados dos check-ups. “Tem empresas em que o nível de pessoas com pressão alta é muito alta em relação às outras empresas do mesmo setor”. Ter estes dados concretos para apresentar ao chefe na hora de cobrar melhores condições para os funcionários é uma arma poderosa do RH.

Seja amigo do médico da empresa

Quem melhor para saber da saúde dos funcionários? “Os RHs precisam ouvir com mais frequência os médicos da empresa. Quando a empresa tem ambulatório, ela começa a entender o que se passa, porque as pessoas falam pros médicos o que não falam para outras pessoas”, explica o diretor.

Incentive a prática de esportes

“Eu gosto muito de estimular as pessoas a fazerem atividade física. As pessoas que fazem exercícios têm capacidade de superar desafios muito maior que os sedentários”, garante Luiz. O tempo não é justificativa para ficar parado e o próprio Luiz Edmundo sugere o treinamento da Força Aérea Canadense para aqueles com agendas muito ocupadas. “Esta metodologia permite que você entre em forma em apenas 12 minutos por dia. Não é a melhor maneira de praticar exercícios, mas quem não tem 12 minutos?”.

Funcionários qualificados têm menos estresse

“Uma das coisas que ajuda muito a qualidade de vida é a educação corporativa”, garante Luiz. Isso porque pessoas qualificadas ficam menos estressadas diante de problemas, pois sabem como resolvê-los. É como fazer uma prova sem saber o assunto. “Um dos conceitos mais importantes do estresse é que ele é a resposta que o seu organismo dá que denota que ele não está preparado para responder”.

Cuidado para não causar o seu próprio estresse

“Na aioria dos casos, todo mundo tem uma parcela de responsabilidade sobre o próprio estresse”, explica Edmundo. Pessoas que se comprometem com prazos que não são capazes de cumprir ou não sabem dizer não podem ser vítimas de si mesmos. “A pessoa está concedendo, não cuida bem da saúde, então o estresse vai ter um impacto maior”.

Flexibilidade ajuda bastante

Horários flexíveis podem fazer uma diferença considerável no humor de um funcionário. “Isso é muito importante especialmente nas grandes cidades, pela grande quantidade de automóveis”, salienta Luiz. Além disso, abrir um espaço para que um funcionário possa ir até a escola dos filhos no horário do expediente assistir àquela competição ou apresentação, pode ser benéfico. Até mesmo porque um pai não renderá muito se passar o dia no trabalho pensando que seu filho está participando de um jogo de futebol importante na escola. Ele estará com a cabeça em outro lugar.

O exemplo precisa vir dos líderes

É difícil mudar a cultura de uma empresa, ainda mais a respeito de alguns dos itens aqui citados, como flexibilidade, respeitar horários e intervalos ou até liberar funcionários para atividades pessoais. É por isso que os RHs devem estimular os líderes a dar o exemplo. Se o chefe do departamento fica até tarde todos os dias resolvendo problemas, irá estimular todos da equipe a ficarem também. “No momento de uma necessidade, todo mundo ajudar e ficar até certo tempo trabalhando até tarde, é admissível, mas a partir do momento que isso se prolonga, perde todo o sentido”, ressalta Luiz.

Enquete da ABRH mostra que profissionais querem mais qualidade de vida em 2012

No final do ano passado, preparamos uma enquete para saber o que as pessoas esperam realizar em 2012. Os resultados pareciam tão peculiares que resolvemos chamar Cezar Tegon, Diretor de Novos Serviços e Produtos da ABRH-Nacional e presidente da eLancers, para analisá-los e compará-los com as mais recentes pesquisas no meio corporativo. Foi aí que percebemos que os nossos resultados estão perfeitamente alinhados com a realidade do mercado.

A começar pela “qualidade de vida”, a opção mais votada na enquete (28% dos votos), inclusive à frente de “ganhar um salário maior” (25%). “Esse resultado já era esperado. Qualidade de vida é o desejo de todos os profissionais, pois engloba uma série de fatores. Entre eles podemos destacar horários flexíveis, morar mais próximo ao local de trabalho, trabalhar remotamente, liberdade de atitudes e opiniões, acessar redes sociais durante o expediente, espaços para descontração”, exemplifica Tegon.

Existe uma explicação para esta tendência: no final da equação, qualidade de vida pode compensar monetariamente um salário maior. Como? “Se você estiver mais perto de casa, gastará menos combustível e poderá até economizar em estacionamento; se demorar menos tempo para se deslocar, ganhará tempo para a prática de atividades físicas e, consequentemente, ficará menos doente”, explica Cezar.

Outro ponto em comum da nossa enquete com as pesquisas é que os “fins” são mais atraentes do que os “meios”. Apenas 7% das pessoas gostariam de começar um MBA e apenas 4% viajariam ao exterior para se especializar. “É comum as pessoas escolherem primeiro o que desejam e depois o que precisam fazer para alcançar estes desejos”, aponta o diretor.

Em último lugar na enquete, “trabalhar menos” alcançou modestos 3% dos votos, mas também não foi uma surpresa. É claro que você conhece dezenas de pessoas que reclamam trabalhar demais, porém diminuir a carga horária parece não ser a prioridade aqui. “Se você faz o que gosta, na empresa que gosta, com pessoas que gosta, e ainda faz parte de um ambiente que, na sua visão, oferece qualidade de vida, com certeza chegará em casa com mais disposição e dará menos valor à possibilidade de trabalhar menos”, afirma Cezar Tegon.

Pelo visto, qualidade de vida não é apenas a primeira opção mais votada, mas também o motivo pelo qual as pessoas não votaram nas outras. Na semana que vem, traremos dicas de Cezar Tegon para quem quer alcançar as metas em 2012.

ABRH-AM discute administração de conflitos

A 45º edição do projeto Gente em Foco, promovido pela ABRH-AM no dia 28 de abril, terá como tema central a administração de conflitos e a qualidade de vida, com a palestra de Lígia Maria de Assis, diretora da LM Psicologia Aplicada. Para confirmar sua presença entre em contato com a ABRH-AM pelo telefone (92) 3238-5386 ou pelo e-mail secretaria@abrham.com.br.

O que é qualidade de vida no trabalho?

Campanhas anti-estresse, de alimentação saudável ou anti-tabagistas, embora recomendáveis, não atacam, de fato, o problema da qualidade de vida no trabalho.

Segundo Anderson Sant’Anna, Professor da Fundação Dom Cabral, que esteve no CONARH 2008, nos questionamos pouco sobre o impacto das novas tecnologias no que diz respeito à qualidade de vida no trabalho. Ele falou sobre “Quando o trabalho promove a qualidade de vida”.

Vejo um trecho da palestra dele no vídeo acima.

Varella: “Há avanços a comemorar”

O Dr. Dráuzio Varella, médico reconhecido também por suas contribuições à literatura, esteve no CONARH 2008 falando sobre “Qualidade de vida no trabalho”. Segundo ele, costuma-se achar que a qualidade de vida no Brasil, que inclui a assistência à saúde, é precária, mas é preciso olhar as coisas a longo prazo. “Há 50 anos não havia plano de saúde e os avanços técnicos resumiam-se a exame de sangue, raio X e pouca coisa além disso. Hoje, através dos planos de saúde empresarial, milhões de pessoas recebem um atendimento médico com alguma qualidade e isso tem que ser visto como um avanço”, assinala. Veja no vídeo acima um trecho da palestra de Varella.